segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

A lista dos 30 Filmes de Zumbis

A ideia foi justamente essa, criar uma lista indicando um mês inteiro com filmes de Zumbis, mas todos sabem como é difícil escolher apenas alguns. Na verdade, após a lista estar completa, vou confessar que faltaram coisas, talvez se a refizesse hoje sairiam alguns filmes e entrariam outros, por exemplo o ótimo espanhol 'No profanar el sueño de los muertos', além de alguns japoneses que gosto bastante. 

Enfim, aqui vai a lista completa pra quem quiser conferir, que faz um belo passeio desde os primeiros exemplares do gênero, alguns mais modernos e finalizando com os clássicos absolutos:

30Fome animal (Braindead) - 1992
29Pavor na cidade dos zumbis (Paura nella città dei morti viventi) - 1980
28Diário dos Mortos (Diary of the dead) - 2007
27Zombio - 1999
26Resident Evil - O Hóspede Maldito (Resident Evil) - 2002
25Dead Meat - O banquete dos Zumbis (Dead Meat) - 2004
24Noites de Terror (Burial Ground) - 1981
23Madrugada dos Mortos (Dawn of the dead) - 2004
22Epidemia de Zumbis (The Plague of the Zombies) - 1966
21Canibais (Undead) - 2003
20Mortos que matam (The Last man on Earth) - 1964
19[REC] - 2007
18O lago dos Zumbis (Le lac des morts vivants) - 1981
17 - Zumbilândia (Zombieland) - 2009
16Os Mortos Vivos (Dead & Buried) - 1981
15Planeta Terror (Planet Terror) - 2007
14Zumbi Branco (White Zombie) - 1932
13Mangue Negro - 2008
12Zombi 3 - 1988
11A maldição dos mortos-vivos (The Serpent and the Rainbow) - 1987
10 - A Noite dos Mortos Vivos (The Night of the Living Dead) - 1990
09 - Terra dos Mortos (Land of the Dead) - 2005
08 - Terror nas Trevas ( L'aldilà - The Beyond) - 1981
07 - A Volta dos Mortos Vivos (The Return Of The Living Dead) - 1985
06 - Todo mundo quase morto (Shaun of the Dead) - 2004
05 - Re-Animator - 1985
04 - Zombie - A Volta dos Mortos (Zombie) - 1979
03 - Dia dos Mortos (Day of the Dead) - 1985
02 - Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead) - 1978
01 - A Noite dos Mortos Vivos (The Night of the Living Dead) - 1968


         

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A Noite dos Mortos Vivos (The Night of the Living Dead) - 1968


O marco fundamental na história dos mortos. O divisor de águas. O criador de um subgênero. Adjetivos não faltam quando falamos do primeiro filme que mostrou pessoas mortas, que voltaram a vida e agora perseguem até mesmo seus entes queridos em busca de carne humana (iohhh ioohh - momento Skylab).

Um filme feito com pouquíssimos recursos e muita criatividade, que aparece sempre no top 3 de qualquer lista de melhores filme de terror de todos os tempos. E não é pra menos, afinal temos aqui a inovação de todo um gênero. O relato de uma sociedade paranóica com ameaças de guerras nucleares. E como viraria quase um clichê nos filmes de Romero, temos uma forte crítica social, racial, entre outras coisinhas mais. 

A história todos já conhecem, os irmãos Johnny e Barbra estão em um cemitério a fim de visitar o túmulo de seu pai, quando um homem cambaleante os ataca, assassinando Johnny e obrigando a guria fugir. Ao longo de sua fuga Barbra encontra uma casa para se esconder. Não demora muito e outro sobrevivente também encontra a casa, este é Ben, o cara que vai levar todo o filme nas costas. Além deles, outras pessoas também estão refugiadas por ali, dois casais e a filha mordida.

Claro que a ideia seria todos os sobreviventes reunirem forças e lutarem contra a ameaça dos zumbis. Mas não é bem isso que acontece, são pessoas diferentes e muitas preocupam-se mais consigo mesmas e com seus interesses. Acho que isso faz de Night um filme extremamente corajoso, onde os realizadores não tiveram medo de expor fraquezas e interesses de seus personagem. E o final, sério precisa de muita audácia para se expor e colocar na tela o que realmente havia sido planejado, admiro quem tem coragem de mostrar algo tão pessimista e autoral, de matar seus personagens.

Interessante que não temos uma exata explicação do porque que os mortos levantam-se, mas certamente isso não vem ao caso. Afinal aqui não são zumbis apáticos, pela primeira vez não são os feiticeiros usando do vodu para a escravidão.

Claro que talvez A Noite não agrade todos os públicos hoje em dia, mas sua importância é inegável. Continua sendo original após 45 anos, assista qualquer filme atual de zumbis, são todos cópias da primeira cria de Romero, ele praticamente criou a cartilha dos mortos: o canibalismo, a desolação, a luta pra viver, o drama da perda e volta de entes queridos e principalmente a transmissão pela mordida. Tudo isso já foi mostrado em 1968. Curvem-se a Noite em que os mortos levantaram pela primeira vez.

O site Boca do Inferno tem um artigo completíssimo, falando inclusive da produção do filme, caso queira ler aqui está o link

Assista o clássico absoluto dos mortos clicando aqui.



Ficha técnica:
Sinopse:A radiação provocada pela queda de um satélite faz com que os mortos saiam de suas covas como zumbis comedores de gente, fazendo com que um grupo de pessoas refugiados em uma casa tenham que lutar pela sobrevivência contra uma horda sedenta de carne e sangue
Título no Brasil:  A Noite dos Mortos-Vivos
Título Original:  Night of the Living Dead
País de Origem:  EUA
Gênero:  Terror
Tempo de Duração: 96 minutos
Ano de Lançamento:  1968
Direção:  George A. Romero
Elenco
Duane Jones ... Ben
Judith O'Dea ... Barbra
Karl Hardman ... Harry
Marilyn Eastman ... Helen
Keith Wayne ... Tom
Judith Ridley ... Judy
Kyra Schon ... Karen Cooper
Charles Craig ... Newscaster / Zombie
S. William Hinzman ... Cemetery Zombie
George Kosana ... Sheriff McClelland
Frank Doak ... Scientist
Bill 'Chilly Billy' Cardille ... Field Reporter

Dia 1.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Despertar dos Mortos (Dawn of the Dead) - 1978

A obra-prima de George A. Romero. É um pouco difícil falar de Dawn, afinal este é o filme mais completo da série dos mortos, iniciada dez anos antes com A Noite dos Mortos Vivos e continuado em 1978 com o   Amanhecer dos Mortos, título que traduziria melhor o planejado pelos realizadores, para representar a ordem cronológica dos acontecimentos. Certamente foi o filme que eu mais ouvi falar na minha infância, pois meu pai teve a oportunidade de vê-lo no cinema e sempre citava como referência em zumbis o tal Zumbi, título que recebeu por aqui no seu lançamento.

Além de ser um ótimo exemplar de horror, pois não faltam 'monstros', mortes e sangue, pode e deve ser apreciado por qualquer fã de cinema em geral. Pois como marca registrada do diretor apresenta fortes críticas, principalmente a  sociedade consumista em que vivemos. Seria Romero um visionário ou simplesmente não evoluímos nada no decorrer dos 35 anos passados de filme? Uma lição de como fazer cinema construtivo. 

Algo que realmente me impressiona muito em Dawn são os dramas existenciais vividos pelas personagens centrais, que buscam refúgio no shopping em meio ao ataque zumbis. Por exemplo a gravidez de Francine, coloque-se na situação dela, em que mundo seu filho nascerá, sem nem mesmo saber se estará viva no próximo dia.

Outra coisa que acho incrível é o início, nos mostrando a queda dos meios de comunicação.  Imagine-se hoje, somente a falta da internet, a falta de informação já seria o suficiente para o caos.

Se na Noite... já nos impressionávamos com as cenas de canibalismo, imagine aqui o choque das cores, da palidez acinzentada dos mortos em contraste com o vívido sangue vermelho.

Durante o filme vamos acompanhar um grupo de pessoas, completamente diferentes e desconhecidas que buscam abrigo em um shopping center. É claro que não irá demorar até os zumbis os encontrarem e terem que lutar pela sobrevivência. Interessante que além da possibilidade do ataque dos mortos, veremos que  os  vivos podem ser muito piores.

Temos aqui cenas interessantíssimas e zumbis inesquecíveis. Quem não lembra do Flyboy, conhecido por aqui pela tradução Tarzan. Destaque também para o hare krishna zumbi, fdp!

Enfim, a cartilha dos mortos está aqui. Se em um filme Romero conseguiu inventar um subgênero, neste segundo alcançou a perfeição, copiada centenas, talvez milhares de vezes.

Clássico absoluto. Maquiagem de Savini, produção de Argento e trilha sonora da banda Goblin.

Lançado em dvd por aqui, em sua versão integral de 126 minutos. Essa é a versão completa, que as vezes se torna um pouco cansativa por cenas demasiadamente arrastadas, mas que não prejudica em nada a diversão.


Ficha técnica:
Sinopse: Sequência direta de A Noite dos Mortos Vivos (1968), o filme mostra quatro pessoas que tentam sobreviver aos ataques dos zumbis sedentos de carne fresca e miolos. Eles se refugiam em um shopping abandonado, enquanto o número de zumbis ao redor do lugar aumenta cada vez mais
Título no Brasil:  Despertar dos Mortos
Título Original:  Dawn of the Dead
País de Origem:  Itália / EUA
Gênero:  Terror
Tempo de Duração: 126 minutos
Ano de Lançamento:  1978
Direção:  George A. Romero
Roteiro: George A. Romero
Elenco
David Emge ... Stephen
Ken Foree ... Peter
Scott H. Reiniger ... Roger
Gaylen Ross ... Francine
David Crawford ... Dr. Foster
David Early ... Sr. Berman
Richard France ... Scientist
Howard Smith ... TV Commentator
Daniel Dietrich ... Givens
Fred Baker ... Commander
James A. Baffico ... Wooley
Rod Stouffer ... Officer on Roof
Jese Del Gre ... Old Priest
Tom Savini … Motorcycle Raider


Faltam 2 dias.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Dia dos Mortos (Day of the Dead) - 1985


Mortos levantam-se a noite, não demora muito até o amanhecer e despertarem, para enfim termos O Dia dos Mortos. Acho que podemos definir assim a principal Série dos Mortos, criada por George A. Romero, uma figura pra lá de lembrada aqui no Horror em Blog, afinal não há como entrar no mundo dos seres cambaleantes, comedores de carne humana sem citá-lo.

Dia dos Mortos é o filme mais gore presente na série, apresenta as melhores maquiagens e os personagens mais marcantes. Afinal quem não lembra-se do simpático Bub? O zumbi que cumprimenta sua tia Alice por telefone. E o Capitão Rhodes? Dividido em dois pelos mortos famintos.

Além disso, como Romero sempre é aclamado pela crítica presente em seus filmes acredito que Dia seja um prato cheio para essa discussão. Afinal o filme gira em torno de cientistas e militares, ambos disputando o poder, ambos brincando com a vida (ou morte) humana.

Tudo começa com uma espécie de pesadelo vivido pela Dra. Sara Bowman, nossa protagonista, onde mãos saem da parede tentando agarrá-la, em uma cena muito bem feita. Passado este primeiro momento, vemos o verdadeiro apocalipse zumbi, mostrado na sua melhor forma. Impagável a destruição mostrada, onde os militares tentam encontrar sobreviventes para levar para a base subterrânea mas deparam-se apenas com zumbis e o caos que impera na terra. Acredito que esta possa ser uma das melhores cenas já mostradas em filmes de zumbis, caso queira conferí-la clique aqui.

Durante o filme acompanharemos os personagens presos na base militar, liderados pelo autoritário Capitão Rhodes, todos a ponto do descontrole. Cientistas fazendo experimentos em zumbis, liderados pelo Dr. Frankenstein. E a certeza que os mortos não irão demorar a juntar-se a eles.

Claro que cada um tem suas preferências, mas da trilogia dos mortos tenho sérias dúvidas se este não é o meu preferido, principalmente pela maneira suja e crua na qual é conduzido. Ah! E aquela musiquinha (leia trilha sonora impressionante) ficará gravada por todo o sempre em sua memória.

Além disso, aqui Savini mostra sua melhor forma de maquiador. Vísceras expostas, como somente os italianos haviam mostrado. Além da ideia dos mortos em diversos estágios de decomposição.

Não preciso dizer que este filme deve ser visto e revisto, e não somente pelos fãs de zumbis, mas por todos aqueles que apreciam o horror em suas quaisquer formas.

Lançado por aqui e VHS, DVD e Blu-ray.


Ficha técnica:
Sinopse: Os mortos-vivos dominaram a Terra, e apenas um pequeno número de humanos conseguiu resistir. Estes sobreviventes, entre eles soldados e cientistas, se refugiaram em um abrigo militar subterrâneo, mas a situação está cada vez mais crítica: o estoque de alimentos está baixando, e a munição e os medicamentos estão cada vez mais escassos. A sobrevivência dos humanos só poderá ser garantida se este grupo chegar até um local inacessível, descobrir como combater os mortos-vivos e enviá-los de volta para suas sepulturas. Uma das últimas esperanças pode estar nas pesquisas realizadas pelo excêntrico Doutor Logan, mas a tensão e o desespero entre os humanos crescem cada vez mais, e eles se entregam a uma terrível batalha pela vida. O resultado é o mais negro dos dias de horror que o mundo já conheceu.
Título no Brasil: Dia dos Mortos
Título Original: Day of the Dead
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 100 minutos
Ano de Lançamento: 1985
Direção: George A. Romero
Roteiro: George A. Romero
Lori Cardille... Dr. Sarah Bowman
Joseph Pilato...  Capitão Rhodes
Terry Alexander ... John
Jarlath Conroy ... William "Bill" McDermott
Anthony Dileo Jr. ... PVT. Miguel Salazar
Richard Liberdade ... Dr. Matthew "Frankenstein" Logan
Sherman Howard ... Zumbi Bub
Gary Howard Klar ...  Steele
Ralph Marrero ... Rickles
John Amplas ... Dr. Ted Fisher
Phillip G. Kellams como ... Moleiro
Taso N. STAVRAKIS ... Torrez
Gregory Nicotero ... Johnson

Faltam 3 dias.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Zombie - A Volta dos Mortos (Zombie) - 1979


E lá vamos nós! Nos encaminhando para a reta final dos 30 filmes de zumbis, que a partir de agora apresentará os maiores clássicos.

O filme de hoje já foi citado em diversas outras postagens e o diretor então nem se fala, Lucio Fulci já deu as caras por aqui em outras duas ocasiões. E se sempre denominamos George A. Romero de Pai dos Mortos, acho que podíamos chamar Fulci de Tio - hahaha. Afinal quem nunca teve um tio ou tia bem legal, que nos presenteava com aquilo que realmente queríamos e as vezes nos mostravam coisas bem melhores que nossos pais? Assim é Fulci, diversas vezes esquecido, outras nem mesmo conhecido principalmente tratando-se do grande público, mas que somente com Zombie supera 90% da produção "zumbística" do mundo.

Zombie é sem dúvida um dos melhores filmes de zumbis de todos os tempos. O melhor exemplar dos italianos, com excessivas doses de gore e nudez gratuita, um roteiro bem construído, principalmente se compararmos com outras obras de Fulci, (acho que foi depois deste que ele começou a usar coisas ilícitas). Enfim, tudo funciona perfeitamente por aqui.

Logo no primeiro take, vemos um corpo totalmente enrolado em lençóis erguendo-se lentamente, que não demora em receber um tiro na cabeça. O atirador em rápida aparição exclama: "O barco já pode ir, avise a tripulação", entram os créditos com a ótima e marcante trilha sonora, típica em filmes italianos. Pouco antes dos sete minutos de filme, podemos ver explicitamente o primeiro zumbi de Fulci, afinal a tripulação do barco citado anteriormente é morta e resta apenas um morto esfomeado a bordo, que ataca os policias que haviam entrado para investigar o suposto barco fantasma que navega na costa de Nova York.

Após o incidente com o barco somos apresentados aos protagonistas: Peter West (Ian McCulloch) como o jornalista designado a investigar o acontecido no barco e Anne Bowles (Tisa Farrow, irmã  de Mia Farrow - a Rosemary) que também está por ali tentando descobrir o paradeiro de seu pai, o proprietário da embarcação. Ao descobrir que seu pai contraiu uma doença nas Antilhas, ambos resolvem partir para a ilha, pegando carona com outro casal, Susan e Brian.

É impossível falar de Zombie sem citar as duas cenas antológicas da película. 

A primeira envolve Susan, que durante a viagem decide dar um mergulho, usando o mínimo de roupa possível. Leia-se: é bom nadar apenas de calcinha pequena, touca e pés de pato. Porém durante seu mergulho quase é atacada por um tubarão, mas ao esconder-se do peixão quase é devorada por um zumbi que vivia ali no fundo do mar. Só vendo para acreditar, Susan consegue escapar do morto, e aí: FIGHT - Zumbi X Tubarão. Quem sairá vivo do combate do século? Isso sim é originalidade. Quantas vezes você já viu zumbis no fundo do mar? Só tenho pena pelo tempo que talvez ficou ali esperando uma vítima. E em aspectos técnicos, toda a cena é muito bem feita, pobre do ator zumbi que luta sem respirar.

A segunda cena imperdível envolve a lindíssima Paola, esposa do médico que atirou no zumbi lá no início, que após seu banho tem a casa invadida por mortos. Depois de ser perseguida, um dos mortos consegue quebrar a porta do cômodo que esconde Paola e pegá-la pelos cabelos, trazendo para perto de si. Temos aí uma das cenas mais pungentes e aflitivas de todos os tempos, lentamente o zumbi vai puxando a mulher para as lascas de madeira da porta quebrada, que vai entrando no olho da mesma, não conseguindo desvincilhar-se. 


O filme continua com nossos heróis chegando na ilha, e descobrindo que está tomada de mortos-vivos e aqui a luta pela sobrevivência não será nada fácil. Uma das mais angustiantes que você verá em filmes do gênero. Temos aqui os mortos pútridos que saem lentamente do chão, que nunca haviam sido mostrados nos filmes de Romero.

Certamente grande parte do mérito de Zombie cabe-se ao maquiador Giannetto de Rossi, que criou mortos memoráveis, com efeitos gores na última escala. De Rossi trabalharia outras duas vezes com Fulci, em The Beyond e A Casa do Cemitério. Algo que realmente me faz perguntar, quem seria o verdadeiro Pai do Gore? Você poderá ver o trabalho de Rossi no recente filme francês Alta Tensão de Alexandre Aja.

Quando lançado em VHS no Brasil recebeu o título de Zombi 2, como já cometei a confusão de nomes por aqui. Felizmente essa pérola foi relançada em DVD por aqui pelo selo Dark Side da Works, e com sorte você ainda o encontra a preço acessível poi aí! 

Uma curiosidade é que Lucio Fulci aparece no filme, lá pelos nove minutos de projeção, interpretando o editor do jornal onde West trabalha.

É possível resumir Zombie em poucas palavras, como sendo imperdível e obrigatório! Poucas vezes os mortos se mostraram de maneira tão mortal e com um perfeito final.
Você pode assistir o filme completo e legendado clicando aqui!

Ficha técnica:
Sinopse: 
-->
Uma moça acompanhada por um repórter americano, parte para uma pequena ilha tropical à procura de seu pai, desaparecido misteriosamente. Quando chegam ao local, descobrem que ailha está infestada por zumbis canibais que devorarm os últimos habitantes, Uma insana luta pela sobrevivência no cenário caótico tem início, quando defuntos putrefatos atacam os vivos, em algumas cenas mais impressionantes e repugnantes do cinema de horror italiano.
Título: Zombie
Título no Brasil: Zombi 2 e Zombie - A volta dos Mortos
País de origem: Itália
Gênero: terror
Duração: 91 minutos
Ano: 1979
Direção: Lucio Fulci
Roteiro: 
Elisa Briganti e Dardano Sacchetti
Produção: Ugo Tucci e Fabrizio de Angelis
Elenco:
Tisa Farrow ... Anne Bowles
Ian McCulloch ... Peter West
Richard Johnson ... Dr. David Menard
Al Cliver ... Brian Hull
Auretta Gay ... Susan Barrett
Stefania D'Amario ... Menard's Nurse
Olga Karlatos ... Paola Menard

Faltam 4 dias.
 



segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Re-Animator - 1985


A história de Herbert West, um Frankenstein moderno e tão obcecado por sua criação como o original. O roteiro é baseado na obra de H.P. Lovecraft com influências diretas do romance de Mary Sheley, e dirigido por Stuart Gordon, o maior especialista em adaptações do criador de Cthulhu. 

Esses requisitos já fazem de Re-Animator um clássico moderno, mas some a tudo isso o ótimo Jeffrey Combs completamente alucinado do papel de West e Barbara Crampton, musa de Gordon, no auge da beleza, com direito a nu frontal e tudo mais. Uma trilha sonora envolvente que lembra muito, mas muito mesmo, o clássico Psicose. E o clima oitentista de filmes que não se levam a sério e sabem divertir muito mais que qualquer um atual.

Assim é Re-Animator, na minha opinião o maior e melhor filme de Gordon, apesar de não desmerecer nenhum pouco Do Além, Castelo Maldito e Dagon. Em relação ao título talvez você já tenha se deparado com o  "A hora dos mortos vivos", pois como é costume por aqui, tudo tem que ganhar um um codinome, este foi o recebido por Re-Animator.

Tudo tem início na Universidade de Zurique, no Instituto para medicina onde o estudante Herbert West testa seu soro em um professor, mas algo sai muito errado, pois o efeito a que somos apresentados, é nada menos que os olhos do pobre homem inflando até estourar, em um efeito pra lá de gore. E o frio West quando interrogado simplesmente responde: "Eu lhe dei vida". Uhum, sei!

Após esta introdução, somos levados à Escola de Medicina de Massachussets onde somos apresentados ao mocinho Dan Cain, o típico estudante, aspirante a médico que não sabe lidar bem com a morte. Cursa uma boa faculdade, namora com uma guria linda, e logo será apresentado ao aluno transferido: West. Que por ironia do destino terá o novato como colega de quarto/casa.

Não demora muito até que West comece a testar seu soro milagroso, primeiramente no gato de Dan, e posteriormente em quem estiver pela frente, usando seu inocente colega em suas experiências macabras.

Se não bastasse West, temos um vilão no filme, o Dr. Carl Hill, que quer se apoderar do soro reanimador de mortos. Além se ver um velho bem tarado e nojento. Para se ter uma idéia ele protagoniza uma das cenas mais conhecidas de Re-Animator: Após perder a cabeça literalmente, Dr. Hill usando seu corpo, com a própria cabeça em uma forma alimentada por sangue, amarra Megan (Crampton) nua em uma maca e faz sexo oral nela. Isso, somente a cabeça do velho repugnante entre as pernocas da mocinha!!!

Aqui não temos os zumbis de maneira clássica, os mortos após despertos ficam bastante violentos e não será nada fácil vencê-los. Mas finalmente um roteiro original, e não o mais do mesmo, como sempre.

Essa que voz escreve, com cara de boba
perante o mestre Stuart Gordon
O filme teve duas continuações bem inferiores 'A noiva do Re-Animator' e 'Re-Animator Fase terminal' ambas dirigidas por Brian Yuzna, que aqui fazia vezes de produtor. Mas como o próprio Gordon disse, é preferível nem comentar sobre elas, com cara de desaprovação. Afinal ele mesmo gostaria de ter feito uma continuação para Re-Animator, mas ela não será mais possível. Afinal era necessário que o presidente Bush ainda estivesse no governo dos EUA, pelo que deu a entender o roteiro envolvia os presidenciavéis americanos reanimados.

Resumindo, Re-Animator é impagável e obrigatório a todos os fãs, de zumbis, de terror, de oitentistas, de gore, de trash. Um filme para todos os gostos!

Assista o filme completo clicando aqui. Apesar de estar com o título errado, a qualidade está razoável e legendado.


Ficha técnica:
Sinopse: A melhor adaptação de uma história de H.P.Lovecraft já feita até hoje. Ao estilo Frankenstein, Herbert West é um estudante de medicina que desenvolveu um reagente capaz de reanimar criaturas mortas. Ao lado de seu colega de quarto, Dan Cain, West precisa de corpos frescos para continuar suas experiências mórbida. Porém, seu professor, doutor Carl Hill, tem planos de conseguir os créditos da descoberta só para ele..isso se conseguir manter a cabeça sobre o corpo até o final do filme.
Título no Brasil: Re-Animator – A hora dos mortos vivos
Título Original: Re-Animator
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 86 minutos
Ano de Lançamento: 1985
Estúdio/Distrib.: Cult Classic Filmes
Direção: Stuart Gordon
Roteiro: Dennis Paoli, Stuart Gordon, William Norris
Baseado na obra de H.P. Lovecraft
Produção: Bob Greenberg, Brian Yuzna
Elenco:
Jeffrey Combs ... Herbert West
Bruce Abbott ... Daniel 'Dan' Cain
Barbara Crampton ... Megan Halsey
David Gale ... Dr. Carl Hill
Robert Sampson ... Dean Alan Halsey
Gerry Black ... Mace (Miskatonic security guard)
Carolyn Purdy-Gordon ... Dr. Harrod
Peter Kent ... Melvin the Re-Animated
Barbara Pieters ... Nurse
Ian Patrick Williams ... Swiss professor
Bunny Summers ... Swiss doctor
Al Berry ... Dr. Gruber
Derek Pendleton ... Swiss policeman #1
Gene Scherer ... Swiss policeman #2
James Ellis ... Psycho Ward guard #1
James Earl Cathay ... Psycho Ward guard #2
Annyce Holzman ... E-R patient corpse
Velvet Debois ... Slit wrist girl corpse
Lawrence Lowe ... Failed operation corpse
Robert Holcomb ... Motorcycle accident corpse
Mike Filloon ... Facial bullet wound corpse
Greg Reid ... One-armed man corpse
Jack Draheim ... Tall skinny guy corpse
Robert Pitzele ... Bald O-R corpse
Kim Deitch ... Bald doctor
Greg Robbins ... Hospital Patient


Faltam 5 dias.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Todo mundo quase morto (Shaun of the Dead) - 2004


O interessantíssimo filme britânico, com uma boa história, personagens cativantes e fortíssima crítica, mas que simplesmente vem com a chamada de "Sátira Imperdível de Madrugada dos Mortos".

Como assim? Se Madrugada é de 2004, e Shaun of the Dead também, como o segundo pode ser sátira do primeiro? Tem algo muito estranho por aí. Além disso, o dvd traz uma chamada no mínimo estranha: "Uma comédia romântica. Com zumbis." Como se Shaun fosse somente isso, mas tenha certeza ele é mais, muito mais.

Até o título é uma espécie de crítica, chamando nosso herói de Shaun dos Mortos, ou que poderíamos interpretar que ele é um exemplo de morto de tão apático. Porém, foi intitulado por aqui como 'Todo mundo quase morto,' certamente para entrar no clima das besteiras idiotas da série 'Todo mundo em pânico'.

É claro que todos esses pontos não passam de marketing, afinal é muito mais fácil vender uma comédia romântica boba que um bom filme de zumbis, ainda mais não sendo americano.

Apesar de todos esses erros que podem acabar atingindo o público errado e não chegar aos fãs de horror, tenha certeza que Shaun é um filme que ficará na sua cabeça por um bom tempo. A história é bastante parecida com aquela que já vimos inúmeras vez, mas a maneira como é contada por aqui, a faz muito interessante.

Shaun é um perdedor, tem um trabalho mediócre, está perdendo a namorada, mora com os amigos sangue-sugas, entre outras coisitas mais. Mas um belo dia tudo muda, quando Zumbis estão por toda parte. 

É muito legal analisar o primeiro contato de Shaun com os mortos, pois ele nem mesmo os percebe. Sai de casa, anda pelas ruas, vai ao mercado e não tem a capacidade de olhar ao seu redor, ver que várias coisas haviam mudado, afinal as pessoas estão mortas, e ele nem se dá conta. Uma incrível crítica à rotina que nos cerca. Quantos de nós olham para o lado, para ver se algo está diferente, se o seu vizinho continua vivo? Assim é Shaun, um cara condicionado a mesmice, que nem se percebe mais.

É claro que em determinado momento Shaun vai se obrigar a lutar contra os mortos, vai tentar juntar as pessoas que ama e procurar abrigo em seu bar favorito afim de tomar algumas cervejas. Temos a mesma premissa já contada diversas vezes, os sobreviventes conseguem entrar no tal bar e vão defender-se dos mortos, a diferença é que temos ótimas piadas ao longo do filme juntamente com uma boa dose de sangue. A maquiagem não é lá essas coisas, mas engana bem. E temos sim romance no filme, mas isso fica a teu critério analisar se é positivo ou negativo.

Outro ponto interessante no filme é a certeza que os realizadores são fãs das obras clássicas do gênero, em vários momentos podemos observar referências a trilogia de Romero. Isso também chamou a atenção do pai dos mortos que  convidou os atores principais de Shaun para atuar em Terra dos Mortos. Eles interpretam zumbis acorrentados, na cena onde Asia Argento luta.

Certamente Shaun é uma boa pedida, principalmente para aqueles dias em que você não está afim de um filme sério. Tenha certeza que dará boas risadas, completada com sangue escorrendo na tela, e é claro, ZUMBIS!


-->
Ficha técnica:
Sinopse: Shaun é um derrotado. Ninguém gosta dele. Parentes, namorada, colegas de trabalho, todos o desprezam. Nada poderia ser pior em sua vida. o que já era ruim fica ainda mais alucinante quando Shaun se vê repentinamente obrigado a liderar um grupo de desesperados sobreviventes, que foge de um aterrorizador bando de mortos-vivos. Entre sangue jorrando, tripas de fora e zumbis devoradores de pessoas, Shaun ainda encontra tempo para o amor .
Título no Brasil: Todo Mundo Quase Morto
Título Original: Shaun of the Dead
País de Origem: Inglaterra
Gênero: Comédia
Classificação etária: 18 anos
Tempo de Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento: 2004
Estúdio/Distrib.: Universal Pictures
Direção: Edgar Wright
Roteiro: Simon Pegg e Edgar Wrigth
Elenco
Simon Pegg .... Shaun
Kate Ashfield .... Liz
Nick Frost .... Ed
Lucy Davis .... Dianne
Dylan Moran .... David
Nicola Cunningham .... Mary
Keir Mills .... Clubber 1
Matt Jaynes .... Clubber 2
Gavin Ferguson .... Football Kid
Peter Serafinowicz .... Pete
Horton Jupiter .... Homeless Man
Tim Baggaley .... The Usher
Arvind Doshi .... Nelson
Rafe Spall .... Noel
Sonnell Dadral .... Danny


Faltam 6 dias.

sábado, 1 de dezembro de 2012

A Volta dos Mortos Vivos (The Return Of The Living Dead) - 1985


Sabe quando um bando de fisurados em filmes de zumbis começam a gritar desesperadamente Brainnnnn, BRAINNNNN e você fica confuso, afinal zumbis não falam. Bom, eles não falavam até voltarem. Voltarem pela, sei lá, já perdi as contas de quantas vezes.

Mas vamos ao que interessa, não é novidade para ninguém que em diversas ocasiões filmes de terror se fundem com os de comédia. Algumas vezes isso realmente não dá certo, mas em outras temos pequenos clássicos, que merecem se vistos e revistos. A Volta dos Mortos Vivos faz parte desde segundo grupo, um ótimo filme que equilibra em exatas doses terror e humor.

Além disso, os mortos-vivos são fáceis de virarem piada, diversos filmes tratam do tema, de maneira escrachada. Mas grande parte desta mistura de gêneros se deve ao filme de hoje. Praticamente o precursor do terrir zumbi.

Para se ter uma idéia do quão cômico é o filme, ele parte da premissa que o clássico de Romero 'A Noite dos Mortos Vivos' é um documentário. E só não foi lançado assim porque o Governo intrometeu-se. Como a Noite é documentário, a Volta não é nada menos que Um Filme Baseado em Fatos Reais. Legal que você verá essa instrução logo no início, mostrando que a coisa não será levada a sério, mas se mostrará divertidíssima.

Tudo começa com Freddy em seu primeiro dia de trabalho, em uma loja/depósito que vende cadáveres, esqueletos, bichos empalhados, enfim toda forma que já foi viva, mas agora não passa de seres inanimados - isso por pouco tempo. No mesmo estabelecimento trabalha Frank, que passa as lições para o novo empregado. Em meio estas lições acidentalmente eles acabam liberando a tóxina 245 Trioxina, a responsável por acordar os mortos lá em 1968.

No ambiente a 245 Trioxina vai dando vida a todos os seres mortos do local, entenda-se: borboletas alfinetadas, cachorros empalhados e é claro cadáveres humanos. É muito engraçada a cena da luta dos homens com o cadáver, e mesmo após despedaçar o morto os pedaços continuam vivos.

Ao mesmo tempo que tudo isso ocorre, temos o outro grupo de personagens centrais, uma espécie de gang de punks, esses caricatos dos anos 80, que não querem nada com nada, apenas divertirem-se. E enquanto esperam seu amigo Freddy, o mesmo do parágrafo ali de cima, entram em um cemitério para festejarem.

Pausa para falar de uma das maiores musas dos filmes de zumbis de todos os tempos e certamente a mais ousada: A Punk Trash. Que de uma hora resolve tirar a roupa e dançar nua sobre as tumbas. Que saudade dos anos 80!

Mas voltando a história do filme, os trabalhadores que acordaram o cadáver juntamente com seu chefe, resolvem levar os pedaços do morto para um crematório. Ali, somos apresentados a um dos personagens mais legais do filme Ernie, o cara da capela que faz autópsia, um especialista no assunto morte. Ambos decidem cremar o que sobrou do zumbi, e é aí que as coisas realmente saem do controle. A fumaça expelida pela chaminé ao entrar em contato com a chuva penetra do solo do cemitério e reanima todos os que ali descansavam em paz. Ideia esta roubada algumas vezes em filmes posteriores inclusive no famigerado Zombi 3, que postei a poucos dias.


Agora com dezenas de zumbis andando por todos os lugares, em busca de cérebro fresco para se alimentarem, um grupo de pessoas vai ter de lutar por sua sobrevivência. A partir deste ponto, o roteiro migra para a história já conhecida por nós, só que complementada por boas piadas. Algo que acho interessante comentar são os mortos que além de falarem, são bastante espertos, inclusive para pedir tele-entrega.


Com participação no roteiro de John Russo, o mesmo de a Noite dos Mortos Vivos e direção de Dan O'Bannon, a Volta é certamente uma boa pedida. Menção para sua trilha sonora que traz boas bandas de rock, datando muito o período do filme. Ótima interpretação do ator Tarman. Felizmente foi lançado em dvd no último 24 de outubro por aqui.

Enfim, A Volta dos Mortos Vivos é obrigatório para os fãs de zumbis. Inclusive para quem não está muito habituado a estes seres canibais, aconselho a começar por ele, pois é impossível não se encantar com esses mortos.



Ficha técnica:
Sinopse:
Em um armazém de remédios em Louisville, nos Estados Unidos, Frank (James Karen) fica trabalhando até mais tarde, treinando o novo empregado do estabelecimento Freddy (Thom Mathews), acidentalmente eles abrem um tambor conhecido como 245Trioxina contendo um espécie de gás para trazer cadáveres de volta a vida, onde também continha cadáveres de pessoas. O gás se espalha pelo estabelecimento onde trabalhavam,e acaba ressuscitando um cadáver que estava em decomposição,devido aos efeitos do gás, eles pedem a ajuda do proprietário do armazém, Burt (Clu Gulager), e de seu amigo embalsamador, Ernie (Don Calfa), para cremar o cadáver. Infelizmente a fumaça que saía pela chaminé do crematório fez com que o efeito da trioxina que estava no cadáver acabasse se espalhando e, quando começa a chover, a fumaça vai para o cemitério, escoando nas sepulturas, fazendo com que os mortos levantem-se. Suas primeiras vítimas são alguns dos amigos de Freddy, que festejavam nas sepulturas, incluindo sua namorada, a partir daí começa uma corrida para não perderem seus cérebros.
Título no Brasil: A Volta dos Mortos Vivos
Título original: The Return of the Living Dead
País de origem: EUA
Duração: 91 minutos
Ano de lançamento: 1985
Gênero: terror /  comédia
Direção: Dan O'Bannon
Roteiro: John A. Russo, Rudy Ricci, Russell Streiner
Produtores: Derek Gibson, Graham Henderson,
Elenco:
Clu Gulager... Burt Wilson
James Karen ...Frank
Don Calfa ...Ernie Kaltenbrunner
Thom Mathews ...Freddy
Beverly Randolph ...Tina
John Philbin ...Chuck
Jewel Shepard ... Casey
Miguel A. Nunez Jr. ... Spider
Brian Peck... Scuz
Linnea Quigley ...Trash
Mark Venturini ...Suicide
Bill Pasold ...Coronel Bill Pasold (Não creditado)
Allan Trautman ...Tarman

Faltam 7 dias.
 

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Terror nas Trevas ( L'aldilà - The Beyond) - 1981


Complicado colocar um nome pra este filme como título da postagem, pois quando foi lançado no Brasil nos tempos de VHS recebeu o título de "Terror nas Trevas", após ser relançado por outra distribuidora por aqui foi denominado "A casa do além". O título italiano original é "E tu vivrai nel terrore! L’aldilà", mas com certeza é muito mais lembrado pelo título americano "The Beyond", podendo gerar confusão com o "Fron Beyond" do Stuart Gordon, que apesar de ambos exagerarem no gore, não devem ser confundidos.

The Beyond é a pura escatologia de Lucio Fulci, esse sim considero merecedor do adjetivo escatológico. Uma aula de filme de terror, tendo tudo que precisamos, considero este o filme máximo do diretor. Você pode até se perguntar, mas e Zombie? Zombie é um ótimo filme de zumbis e logo também vai aparecer por aqui, mas The Beyond não é só mortos-vivos, é muito, muito mais do que isso.

Logo na primeira cena do filme passada em 1927, vemos um hotel onde os donos são acusados por práticas envolvendo bruxaria, e após uma surra de correntes temos uma crucificação totalmente on-screen do homem do quarto 36. Impossível não comentar o ótimo trabalho de maquiagem e o fetiche de Lucio Fulci por estas surras tão cruéis. Temos uma cena muito parecida no western spaghetti Tempo de Massacre de 1966, evolvendo um chicote e no ótimo giallo "Non si sevizia un paperino" de 1972, Florinda Bolkan também apanha de correntes, ambos dirigidos por Fulci.

Voltando aos tempos atuais, Lisa vivida por Catriona MacColl, sempre como a mocinha nos filmes de Fulci, herda o tal hotel, sem saber que havia sido construído sobre um do Sete Portões do Inferno, e aí está a premissa de que tudo pode acontecer, e realmente acontece. Apesar do roteiro não estar tão bem amarrado, é muito superior ao seu antecessor Pavor na Cidade dos Zumbis, que é uma bagunça só.

Temos sequências de tirar o fôlego, personagens realmente impressionantes, mesmo as vezes sem entendermos muito bem o que são na história - hehe. Ainda gostaria de saber o que Fulci andava usando nessa época, mas boa coisa certamente não era. Um exemplo de personagem estranho/misterioso é a cega Emily, que não define-se em ser um fantasma como aparenta e sabe muito sobre a história do hotel, que parece não existir realmente mas tem a garganta estraçalhada por seu cão guia, sobre influência dos Mortos-Vivos.

Bendito seja Giannetto de Rossi mestre da maquiagem, responsável pelo splatter em altíssimo grau que aparecerá na sua tela. É claro que alguns efeitos são risíveis para o público atual, como por exemplo a cena das aranhas, mas leve em consideração a data do filme, a falta de recursos. Isso sim é realmente fazer cinema, sem ficar sentado diante de um computador do tipo: aranha ergue a perninha aqui, isso, agora fura a língua do cara, acho q dá pra por mais sangue, o pixel pode ser mais vermelho. 

E além de ter tudo isso, não se pergunte porque The Beyond aparece na lista de filmes de zumbis, pois eles também se fazem presentes e em sua melhor forma: a tradicional. Dá-lhe tiro na cabeça!

Temos aqui um Fulci completo com todos os fetiches do diretor: Catriona MacColl, super closes de olhos, mortos-vivos, crianças estranhas, a tradicional surra de correntes, sanguera, enfim o apocalipse na sua pior escala.

Eu definiria The Beyond como sendo uma pintura dantesca, com uma trilha sonora envolvente e pessimista e a certeza que nada dará muito certo. Um pesadelo na tela, daqueles sem muita lógica em que você reza para acordar. E isso o faz um dos melhores exemplares do gore explícito, da época de ouro do Horror na Itália. 
Imperdível.



Ficha técnica:
Sinopse:Louisiana, 1981. Lisa (Catriona MacColl) discute sobre a restauração do mesmo hotel com o amigo Martin. Mas logo Joe, o encanador, vai checar um vazamento de água no porão e abre acidentalmente a sétima porta do inferno, dando inicio aos horrores sangrentos típicos de um filme de Lucio Fulci, com direito a zumbis, mortes extremamente violentas, ataque de aranhas assassinas e muitas cenas enigmáticas.
Título no Brasil: Terror nas Trevas e A casa do Além
Título original: E tu vivrai nel terrore! L’aldilà
Título americano: The Beyond
País de origem: Itália
Ano: 1981
Duração: 87 minutos.
Gênero: terror
Direção: Lucio Fulci
Roteiro: Dardano Sacchetti e Lucio Fulci
Produção: Fabrizio De Angelis
Fotografia:Sergio Salvati
Edição: Vincenzo Tomassi
Música:Fabio Frizzi
Desenho de Produção: Massimo Lentini
Efeitos Especiais: Germano Natali
Direção de Arte: Alfredo D'Angelo; Franco Rinaldi e Rodolfo Ruzza
Elenco:
Catriona MacColl (Liza Merril);
 David Warbeck (Dr. John McCabe);
Cinzia Monreale (Emily);
Antoine Saint-John (Schweick);
Veronica Lazar (Martha);
Anthony Flees (Larry);
Giovanni De Nava (Joe);
Al Cliver (Dr. Harris);
Michele Mirabella (Martin Avery);
 Gianpaolo Saccarola (Arthur);
Maria Pia Marsala (Jill);
Laura De Marchi (Mary-Ann)

Faltam 8 dias.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Terra dos Mortos (Land of the Dead) - 2005


Algo que podemos acompanhar nos filmes de mortos criados por George A. Romero é uma linha temporal evolutiva. Em seu primeiro filme de 1968, A Noite dos Mortos Vivos, tínhamos um local isolado onde zumbis atacavam e ao final os vivos jugavam ter combatido a epidemia. Em Despertar dos Mortos de 1978, a coisa estava muito maior, vemos a decadência dos meios de comunicação, vemos as pessoas fugindo procurando abrigo e mortos por todos os lugares. Já em 1985 em Dia dos Mortos, temos o mundo devastado, ruas tomadas pelos mortos, e vivos escondidos e trancafiados.

Após o grande "BUM dos Mortos" em 2004, com a refilmagem de Despertar..., temos diversas produções envolvendo zumbis, vindas de todos os cantos do mundo. E para nosso delírio o Pai dos Mortos está de volta. O simpático velhinho, com seus óculos de armações imensas e cabelo branquinho (não, não estou falando do Papai Noel!!!) retorna ao gênero que ele mesmo criou e desta vez seus mortos não estão para brincadeira.

Em Terra dos Mortos, os zumbis tomaram conta de tudo e os vivos vivem isolados em uma espécie de ilha, cercados por todos os lados.

Temos aqui mortos muito inteligentes que usam ferramentas e armas. Mas que com certeza tem muito mais caráter que os poderosos, chefões da cidade dos sobreviventes. 

Acho um tanto estranho essa ideia dos mortos manterem suas memórias e tentarem repetir o que faziam em vida. Mas se analisarmos, Romero já havia deixado isso bem claro em Dawn, quando os mortos voltam ao shopping atrás de suas lembranças.

A forma crítica de fazer cinema, habitual em Romero, também se faz presente nesta quarta parte da série dos mortos. Temos o poder centralizado nas mãos de um homem ganancioso e vil, enquanto a população vive nas ruas sem as menores condições. Na verdade, Land me fez lembrar uma espécie de paródia do Império Romano, onde os poderosos vivem com todo o luxo possível e a população não tão inocente, tem divertimentos inescrupulosos, usando os mortos além de outras pessoas.

Mas tirando toda a parte filosófica da coisa, hehe, Land é um ótimo filme. Tem várias situações interessantes envolvendo os mortos, maquiagens muito boas, Asia Argento também muito boa, tem tiroteio e ação, para os mais inquietos e lições de moral, enfim é Romero.

Em relação a história do filme, vemos um grupo de pessoas que saem da cidade cercada em busca de mantimentos, enfrentando e enganando os pobres mortos, em cenas que realmente me dão pena. Mas os mortos, liderados por Big Daddy resolvem invadir a cidade. Pausa para comentário da cena espetacular, quando os mortos surgem pela água. Bom, o resto você já sabe ou ao menos imagina, vamos acompanhar um grupo de pessoas tentando sobreviver ao ataque dos zumbis e encontrar um local melhor para viver! Que lindo!

Como eu quase não sou fã, legal comentar a presença de Tom Savini, que mais uma vez dá as caras por aqui, e após ser mordido tem uma fala incrível, dizendo que sempre quis saber como era o outro lado.

Recomendado!!!



Ficha técnica:
-->
Sinopse: Seres humanos vivem ilhados numa pequena cidade, enquanto zumbis povoam o resto do mundo. Os ricos tentam manter a ilusão de que ainda moram num mundo normal, isolados em torres. O restante é obrigado a viver nas ruas, convivendo com jogos, prostituição e drogas. Mas todos são obrigados a confiar em mercenários que saem da cidade em busca de suprimentos. Em troca de pagamento, os mercenários sonham juntar dinheiro e fugir para um mundo melhor... se é que existe. Enquanto isso, o exército de mortos-vivos se fortalece, colocando em risco a existência humana mesmo dentro da fortaleza, até pouco tempo intransponível.
Título no Brasil: Terra dos Mortos
Título Original: Land of the Dead
País de Origem: Canadá / França / EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 97 minutos
Ano de Lançamento: 2005
Estréia no Brasil: 22/07/2005
Estúdio/Distrib.: Universal Pictures
Direção: George A. Romero
Elenco
Simon Baker ... Riley
John Leguizamo ... Cholo
Dennis Hopper ... Kaufman
Asia Argento ... Slack
Robert Joy ... Charlie
Eugene Clark ... Big Daddy
Joanne Boland ... Pretty Boy
Tony Nappo ... Foxy
Jennifer Baxter ... Number 9
Boyd Banks ... Butcher
Jasmin Geljo ... Tambourine Man
Maxwell McCabe-Lokos ... Mouse
Tony Munch ... Anchor
Shawn Roberts ... Mike
Pedro Miguel Arce ... Pillsbury
Sasha Roiz ... Manolete
Krista Bridges ... Motown
Alan Van Sprang ... Brubaker
Phil Fondacaro ... Chihuahua
Bruce McFee ... Mulligan
Earl Pastko ... Roach


Faltam 9 dias.
 


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A Noite dos Mortos Vivos (The Night of the Living Dead) - 1990


Particularmente eu não gosto de remakes, na verdade vou confessar que tenho um certo preconceito com eles. Apesar que desta vez tenho que dar o braço a torcer e admitir que o filme de hoje é uma obra prima. Na verdade a Noite dos Mortos Vivos de 90 é uma real homenagem ao original, a Noite.. de 68, com grande participação dos realizadores originais juntamente com o mestre mor da maquiagem: Tom Savini.

A noite de 90 é um filme bastante especial para mim, pois pude vê-lo há muito tempo atrás na band, antes mesmo de passar no saudoso Cine Trash, na época era apenas uma criança, mas o filme me marcou de tal maneira, que posso ter visto-o diversas vezes, mas a que me lembro ainda é essa primeira. 

Os reais apreciadores do cinema de terror hão de concordar comigo, quando você vê muitos filmes chega a um ponto que nada mais assusta, é claro que alguns impressionam por este ou aquele motivo, mas fazer o sangue gelar isso é mérito de pouquíssimos. No meu caso posso citar apenas dois filmes que tiveram o tal efeito de gelar o sangue: O Exorcista e este A Noite dos Mortos-Vivos  de 90. Certamente não terão o mesmo efeito no público CGI de hoje, talvez eu fosse muito nova, mas posso dizer que a Regan ficou umas três noites deitada na minha cama e o Ben apareceu na minha porta em uma tal Noite...

Mas voltando ao filme, porque isso não é um "Querido diário...", A Noite de 90 começa praticamente igual a de 68, Bárbara e o irmão visitam um cemitério e logo, na primeira seqüência temos o ataque de mortos cambaleantes. Que  assassinam o irmão e fazem a mocinha, o caso Bárbara, correr procurando abrigo. A frase "They're coming to get you, Barbra" marca registrada da Noite está presente aqui também, com a mesma ênfase.

O resto você já sabe, Bárbara encontra uma casa e juntamente com outros sobreviventes vão tentar manter-se vivos durante aquela noite. E como se a legião de zumbis que atacam por todos os lados não fosse suficiente, temos conflitos entre os abrigados, e um dos caras mais chatos de todos os tempos.

Savini e uma filha
A noite de 1990 conseguiu o que poucos remakes conseguem: contar a mesma história, inovando-a, porém sem perder a obra original. Savini não precisou dar velocidade aos mortos para que parecessem assustadores. Não precisou inventar personagens desnecessários, alterou um pouco a personalidade deles sim, mas como se eles tivessem subido de nível. Temos aqui uma Bárbara muito mais macha, que toma uma das decisões que mais aplaudi vendo um filme. Eta moça corajosa!

Savini é colaborador de longa data de Romero, fez a maquiagem e atuou em Martin, Despertar dos Mortos, Cavaleiros da Noite, entre outros. Maquiador profissional, entre os seus trabalhos, um dos que mais me agrada é a quarta parte da série Sexta-feira 13. Savini dirigiu esta refilmagem e algo que muito foi melhorado é a maquiagem dos zumbis.

Este é o representante máximo dos mortos-vivos na década de 90, onde filmes do nosso amado sub-gênero são tão escassos. A trilha funciona muitíssimo bem, as atuações são convincentes, o Ben está perfeito, há sangue de sobra e um final um pouco mais feliz, enfim, um clássico absoluto.

Para quem curte, uma palavra: Obrigatório!!!


Ficha técnica:
-->
Sinopse:
É uma nova noite para o terror... e um novo amanhecer para os filmes de horror quando o gênio dos efeitos especiais Tom Savini (criador das espetaculares maquiagens de Sexta-Feira 13 e Creepshow traz a moderna tecnologia para esta vibrante refilmagem do clássico cult de 1968 de George A. Romero.
Sete estranhos ficam presos em uma isolada casa de fazenda enquanto zumbis canibais - despertados da morte por um teste radioativo no espaço - promovem um incansável ataque, matando (e comendo) qualquer um em seu caminho. Um clássico para os anos 90: visual repulsivo e mais aterrorizante do que nunca!
Título no Brasil: A Noite dos Mortos Vivos
Título Original: Night of the Living Dead
País de Origem: EUA
Gênero: Terror
Tempo de Duração: 92 minutos
Ano de Lançamento: 1990
Estúdio/Distrib.: Sony Pictures
Direção: Tom Savini
Roteiro: George A. Romero e John A. Russo
Roteiro Adaptado da Peça de 1968: John A. Russo e George A. Romero
Produção: Christine Forrest, Menahem Golan e Russell Streiner.
Trilha Sonora: Paul McCollough
Fotografia: Frank Prinzi
Edição: Tom Dubensky
Direção de Arte: James C. Feng
Figurinos: Barbara Anderson
Elenco
Tony Todd ... Ben
Patricia Tallman ... Barbara
Tom Towles ... Harry Cooper
McKee Anderson ... Helen Cooper
William Butler ... Tom
Katie Finneran ... Judy Rose
Bill Moseley ... Johnnie
Heather Mazur ... Sarah Cooper
David W. Butler ... Hondo
Zachary Mott ... Bulldog
Pat Reese ... The Mourner
William Cameron ... The Newsman
Pat Logan ... Uncle Rege


Faltam 10 dias.